Sou Pro

Venda de empresas: como saber se chegou o momento

como saber se chegou o momento de vender a sua empresa

Depois de anos de trabalho e dedicação, muitos empreendedores veem-se confrontados com a oportunidade de proceder à venda de empresas. Descubra se vale a pena, e conheça algumas orientações para iniciar o processo de venda.

4 sinais que indicam que é altura de vender a sua empresa

O primeiro passo para tomar a decisão é estar atento aos sinais que indicam que chegou a altura para o fazer. Não é um processo fácil, uma vez que envolve questões emocionais relacionadas com o investimento pessoal e a entrega ao negócio, mas é frequentemente o passo mais prudente a dar. Listamos de seguida os principais motivos que podem conduzir à venda de empresas.

1. Desgaste pessoal 

Quando o negócio prospera, nem sempre há condições pessoais para continuar a dar o mesmo nível de resposta, sobretudo em negócios com exigências muito específicas. Por vezes, a qualidade de vida fica de tal forma comprometida que acarreta o risco de doença, não sendo, portanto, compatível com o cenário idealizado pelo proprietário no início do negócio. Assim, vender a empresa num momento de crescimento é um passo maduro para não desaproveitar anos de esforço.

2. Novos objetivos de vida

Os diferentes momentos de vida atravessados pelo proprietário podem colocar em cima da mesa a venda da empresa. Poderá estar na altura de dedicar mais tempo à vida pessoal e familiar, viajar, procurar novos desafios ou abraçar outros projetos que sejam agora mais compatíveis com os seus interesses e objetivos. Por isso, mesmo quando a empresa é lucrativa, poderá ser sensato começar a planear a venda.

3. Melhores oportunidades de investimento

O custo de oportunidade é um fator decisivo na tomada de decisão. Se tiver outras aplicações em mente para o dinheiro da venda da empresa, com maior rentabilidade do que obtém na atividade atual, deve estudar bem a opção da venda. Poderá, por exemplo, investir em imobiliário ou começar um novo negócio. Pese qual das opções – manter a empresa ou efetuar o novo investimento – trará maior retorno e não se esqueça de contabilizar a componente fiscal da operação.

4. Falta de sucessão

A falta de um sucessor ou de um candidato qualificado pode levar o proprietário a vender a empresa. Muitas vezes, os herdeiros não partilham a mesma paixão pelo negócio, ou demonstram competências noutras áreas, o que coloca em risco a continuidade da empresa. Por outro lado, a dificuldade em encontrar um sucessor fora da esfera familiar que vá de encontro ao projetado pode também originar a venda da empresa.

5. Dificuldades financeiras

A empresa pode, com o tempo, deixar de gerar lucro e sofrer desgaste, quer por força da crise generalizada, quer por problemas de gestão. É importante analisar o que está na origem desta quebra e avaliar a possibilidade de vender a empresa. Não é raro que uma nova gestão, com um novo entusiasmo, possa reverter a situação, recuperar o fôlego financeiro do negócio e até possibilitar o seu crescimento e expansão.

Em suma, são vários os motivos que levam à venda de empresas. Quando a venda se concretiza, muitos empresários podem até apoiar o novo proprietário durante uma fase inicial, para garantir uma transição fluida e suave do seu legado.

Artigo relacionado: Empresa Insolvente, e agora?

Como dar início à venda da sua empresa

Se sente que chegou a hora de vender a sua empresa, tome nota das seguintes orientações para que o processo decorra de forma profissional e bem-sucedida, sem sobressaltos.

1. Prepare-se para o processo

Faça uma revisão geral de todos os documentos gerais, contabilísticos e fiscais. Certifique-se de que a burocracia se encontra atualizada e em dia. Reveja as informações com o seu contabilista, para solidificar o seu conhecimento sobre o negócio. Se necessário, recorra a um assessor financeiro para o ajudar em questões mais complexas.

2. Calcule o valor da sua empresa

Equipe-se com melhores condições negociais sabendo de antemão quanto vale a sua empresa. Existem atualmente 3 formas de fazer este cálculo: Avaliação dos Ativos, Método Comparativo, e Fluxo de Caixa Descontado, que serão abordados mais à frente. Assim, conseguirá identificar uma oferta que seja adequada e justa.

3. Planeie e estruture

Defina em detalhe como pretende que o processo de venda da empresa se desenvolva. Especifique o que vai oferecer e as suas condições. Anteveja também o perfil do comprador ideal para a sua empresa, e adapte a sua estratégia de venda e apresentação às expectativas e necessidades do mercado.

4. Defina o perfil do comprador

Mais do que a oferta financeira em bruto, considere também as características pessoais e profissionais do comprador, e em que medida a sua reputação e histórico podem prejudicar a empresa ou, pelo contrário, adicionar valor ao negócio no sentido de um maior crescimento e expansão da empresa.

Artigo relacionado: Como calcular o valor de uma empresa?

Como calcular o valor de uma empresa

Conhecer o real valor de uma empresa é um dos passos mais importantes durante o processo de venda. Este valor, apesar de poder ser quantificado, é subjetivo; ou seja, não há exatidão no cálculo e encontra-se sujeito à perceção externa. Assim, para chegar ao valor de forma mais real possível, é necessário um bom conhecimento do negócio e do mercado. Apresentamos de seguida alguns métodos que o ajudam a calcular o valor de uma empresa.

Avaliação dos ativos

Esta forma de calcular o valor de uma empresa inclui todos os ativos que detém no momento, como máquinas, edifícios, frotas, equipamentos, produtos e capital, descontando, contudo, dívidas e compromissos financeiros.

Para este cálculo não são consideradas receitas futuras. A desvantagem deste método é que não considera outros fatores importantes como, por exemplo, a carteira de clientes, a reputação da marca no mercado, ou as oportunidades de crescimento futuro do segmento.

Método Comparativo

Como o próprio nome indica, este método para calcular o valor de uma empresa passa por compará-la com a concorrência. Através da média de referência do setor, que é encontrada pelo EBITDA, é possível encontrar um valor aproximado.

Contudo, também este método traz algumas desvantagens, porque a concorrência em que se baseia a comparação não é, na maior parte das vezes, suficientemente idêntica. Basta pensar no número de colaboradores, volume de vendas ou de investimentos variados para encontrar facilmente um desequilíbrio comparativo. 

Fluxo de caixa descontado

abrangente e, por isso, mais justo e aproximado ao valor real. Inclui a previsão do valor do negócio no futuro, a avaliação dos riscos e do potencial de retorno sobre o investimento.

É feita uma estimativa de fluxo de caixa num determinado período (considerando a faturação e as despesas) e, sobre essa estimativa, é aplicada uma taxa de desconto, que engloba o valor que a empresa gasta para adquirir o seu próprio capital. O resultado desta fórmula é o valor de venda de uma empresa.

Contudo, dado que este método pode apresentar alguma subjetividade, não deixe de recorrer a profissionais para reduzir a margem de erro e chegar a um valor correto.

4 erros a evitar durante a venda de empresas

Durante a venda de empresas, podem ocorrer algumas lacunas que ocasionem resultados aquém dos esperados. Destacamos de seguida as principais:

1. Apresentar perspetivas irrealistas

Quando preparar o processo de venda da empresa, apresente previsões alcançáveis de resultados, para evitar deceções posteriores de quem a comprar. Na verdade, o processo pode até ser interrompido pelo comprador, por força das diligências efetuadas em verificações contabilísticas, jurídicas ou fiscais da empresa, que se revelem divergentes. Assim, forneça sempre informações completas, realistas e objetivas, mas suficientemente claras e apelativas sobre as vantagens da venda da empresa.

2. Não se preparar para o processo

Fornecer informação robusta, completa e inequívoca aumenta a probabilidade de o comprador tomar a decisão de compra. Assim, prepare-se com antecedência e tenha consigo todos os documentos de apoio necessários, como contratos com clientes, demonstração de resultados, balanços, fluxo de caixa, projeções de receitas e despesas, investimentos, entre outros. A falta de informação ou mesmo a falta de organização podem ser responsáveis pelo término das negociações.

3. Não manter o processo sigiloso

Partilhar detalhes do processo de venda de empresas com terceiros, como fornecedores, clientes ou colaboradores, pode comprometer o sucesso da transação. Os credores podem tentar antecipar cobranças e os contratos de clientes podem não ser renovados, entre outros cenários potencialmente nefastos.

4. Não escolher o método certo para calcular o valor da empresa

Sem um valor de venda de empresa adequado, poderá fechar um mau negócio, e perceber que poderia ter auferido um valor maior no processo de venda. Assim, fale com o seu contabilista certificado e explorem os métodos existentes no mercado para a venda de empresas (referidos anteriormente). Desta forma, terá um maior conhecimento sobre o seu negócio e melhores condições de negociação com um possível comprador.

Com estas orientações sobre venda de empresas, está agora preparado para dar início ao processo, de forma clara e segura. O OLX Business está ao seu lado, quer na abertura de uma empresa, quer no momento em que se reúnem condições para a sua venda. Connosco poderá facilmente digitalizar o seu negócio e vender os seus produtos online, de forma segura e sem comissões. Crie um perfil hoje no OLX Business e comece já a vender.


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário