Sou Pro

Tráfego orgânico: tudo o que precisa de saber

O que é o tráfego orgânico

E se houvesse uma forma de conseguir que mais pessoas encontrassem o seu site ou loja online, e que não envolvesse pagar por publicidade no Google ou nas redes sociais? Uma maneira de aparecer nos primeiros resultados de pesquisa sem ter de criar anúncios? Já existe, e chama-se tráfego orgânico. Descubra em que consiste este conceito, quais as vantagens e como implementar.

O que é o tráfego orgânico?

O termo tráfego orgânico refere-se aos visitantes que chegam ao seu site através de motores de busca como o Google e Bing. Esta forma de tráfego é gratuita, ou seja, a marca não tem de pagar para aparecer nos resultados de pesquisa.

Por exemplo, imagine que gere uma loja de roupa online. Quando um utilizador pesquisa o termo “roupa de marca barata” vê uma série de anúncios à cabeça dos resultados devolvidos. Estes resultados são pagos por marcas, e o tráfego que advém destes anúncios é conhecido por tráfego pago ou Paid Search.

Logo a seguir, estão os chamados resultados orgânicos, ou seja, sites cujo conteúdo está relacionado com a keyword procurada, ordenados pela proximidade com os termos de pesquisa.

Quanto mais aproximado for o conteúdo do site com o termo procurado, mais próximo do topo aparecerá o seu site.

Quais as vantagens do tráfego orgânico?

Mais tráfego orgânico é sinónimo de maior notoriedade do site, maior visibilidade nos resultados de pequisa, mais visitantes ao site e, finalmente, mais vendas.

Por outro lado, o tráfego orgânico tem em média melhores taxas de conversão do que o tráfego pago. Isto porque existe uma intenção de compra superior nas pesquisas orgânicas do que nos anúncios. O tráfego pago está sujeito a que muitos utilizadores cliquem num determinado link apenas porque é o primeiro a aparecer e não porque de facto tem o que precisam. Já o tráfego orgânico é apresentado aos utilizadores em função das suas pesquisas, o que faz com os visitantes que descobrem a marca desta forma venham com intenção de comprar.

Por outro lado, o tráfego orgânico tem um ROI mais elevado. Em vez de depender de anúncios que custam dinheiro por clique e têm uma data de validade, os resultados orgânicos são gratuitos, e mantêm-se ativos de forma permanente.

Como medir o tráfego orgânico?

A primeira etapa para analisar o tráfego orgânico é aceder ao Google Analytics. O Google Analytics é uma ferramenta gratuita da Google que monitoriza a atividade de uma página web, ou seja, é uma ferramenta de análise de sites. Aqui, é possível ver métricas chave como o tráfego geral do site, o tempo médio gasto pelos visitantes, o número de páginas visitadas, as diferentes fontes de tráfego (direto, orgânico, de referências, de redes sociais e pago), além das palavras-chave que geraram o tráfego orgânico.

Para ver os dados de tráfego orgânico, aceda ao relatório de agrupamento de canais, que encontra em Aquisição / Todo o tráfego / Canais. Assim, pode visualizar o tráfego do site por fontes ou canais. Para além do valor atual, poderá ver a evolução do número de utilizadores por mês que visitaram a sua página tendo como origem o tráfego orgânico.

Como aumentar o tráfego orgânico?

Para aumentar o tráfego orgânico, as marcas recorrem a uma estratégia de marketing chamada SEO ou Search Engine Optimization, que se refere à otimização de sites para motores de busca. De forma resumida, é o processo de melhorar um site para aumentar a visibilidade quando os utilizadores procuram produtos ou serviços relacionados com o seu negócio.

Entre as principais medidas que qualquer marca pode implementar para melhorar o tráfego orgânico, destacam-se as seguintes:

  • Escolha as keywords certas para o seu site. A escolha de keywords é especialmente relevante para a posição em que um site aparece no ranking de resultados. O segredo está em encontrar keywords com elevado volume de pesquisa e baixa concorrência de outras marcas com maior notoriedade. Por exemplo, a keyword “iPhone 12”, apesar de ter muitas pesquisas por mês, tem a concorrência da Apple, com a qual é difícil, senão impossível, competir em termos de tráfego orgânico.
  • Introduza as keywords em locais de destaque. Depois de ter identificadas as keywords, introduza-as no site em locais de elevada visibilidade como títulos, parágrafos introdutórios, descritivos de produtos e ao longo do texto.
  • Reveja os títulos e metadescrições. O título e a meta descrição são a forma como cada link aparece nas páginas de resultados. São um resumo da página que deve conter as palavras-chave para as quais deseja que a página seja classificada no título e na meta descrição e crie uma mensagem clara e de conversão.
  • Crie um blog. Se ainda não tem um blog, crie um para o seu site ou loja online. Desta forma, pode criar conteúdos orientados a keywords específicas relevantes. Por exemplo, voltando ao exemplo da loja de roupa, poderia criar um artigo com a keyword “marca de roupa barata”. Desta forma, é mais provável que quem faça pesquisas com este termo encontre o seu blog, logo, o seu site.
  • Mantenha uma presença ativa nas redes sociais. As redes sociais podem contribuir para os resultados orgânicos. Ao fazer publicações com frequência, está a levar a que mais pessoas pesquisem sobre os temas que publica, o que vai aumentar o tráfego orgânico. Por outro lado, inclua ligações das redes para o site, o que irá aumentar a relevância que o motor de busca lhe atribui.

Com tanta concorrência, conseguir tráfego orgânico não é tarefa fácil. Para ajudar nesta missão, precisa de parceiros com notoriedade, como o OLX.

Crie uma presença no OLX Pro para conseguir mais tráfego orgânico

Quanto maior for a pegada digital da sua marca online, maior será o tráfego orgânico. Para isso, é importante associar-se a outras marcas com muitos visitantes por mês, o que fará com que o Google lhe reconheça autoridade. O OLX, que recebe mais de 15 milhões de visitantes mensais, é o maior Marketplace do país e um aliado indispensável numa estratégia de marketing digital. Registe hoje a sua empresa no OLX Pro e comece a receber mais tráfego orgânico para a sua marca.


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário