Sou Pro

O renting vale a pena? Prós e contras para empresas

prós e contras do renting para as empresas

Ter um carro, uma máquina ou computadores sem descapitalizar a empresa. Estar sempre atualizado com o modelo mais recente. E não perder tempo com seguros ou reparações. Este é o apelo do renting e já cativou milhares de empresas por todo o mundo. Descubra os prós e contras do renting e perceba se é a solução para a sua empresa.

O que é o renting?

O renting é um contrato de aluguer de longa duração. A empresa aluga um determinado bem durante um período de tempo, mediante o pagamento de uma mensalidade. Todos os custos associados à sua utilização pois estão todos incluídos no serviço.

Embora seja o cliente a escolher o ativo que quer – uma máquina, carro ou equipamento de som – a propriedade do mesmo é sempre do locador (a empresa que é dona do bem), que, por meio de uma renda mensal, o coloca à disposição para total utilização do locatário (a empresa que o utiliza).

O renting tem vários benefícios importantes para as empresas, que vale a pena conhecer.

Quais os benefícios do renting para as empresas?

Preço, flexibilidade, conveniência. Estes são os principais argumentos do renting, e em todos há prós e contras.

Preço

Prós

Com o renting não necessita de entrada inicial. A renda mensal fixa inclui custos como o seguro, manutenções ou reparações, o que significa menos surpresas na gestão de tesouraria. Além disso, beneficia do poder negocial do locador que, ao negociar diretamente com os fabricantes a compra em grande volume, obtém economias de escala que resultam em rendas mensais mais atrativas.

Contras

O renting tem um custo médio de utilização superior à alternativa – a compra.

Por exemplo, imagine que compra um carro novo por 30.000 €. A esse valor some o IUC (50€/ano), seguros (por exemplo 400€/ano), revisões e reparações (400€/ano) e inspeções periódicas (30€/ano). Assumindo que esse carro passados 10 anos ainda vale cerca de 5.000€, o custo de utilização é de 288€ / mês ou 3.500€ / ano.

Em renting, um carro do mesmo preço poderá facilmente rondar os 400€ / mês sem IVA ou 4.800€ / ano – um valor 37% mais elevado do que a compra. Ou seja, se comprasse ainda tinha até 1.300€ / ano para imprevistos (como acidentes não segurados), e a compra continuaria a compensar. Mas claro, no renting teria sempre um modelo atualizado.

Flexibilidade

Prós

Com o renting sempre que o renovar o contrato pode escolher um modelo novo e mais recente. E como não requer o pagamento de entrada inicial, resulta numa disponibilidade financeira para outras necessidades da sua empresa.

Contras

Por outro lado, a compra de um bem para a sua empresa não implica um contrato. Com o renting, fica obrigado a cumprir o contrato até ao final, pagando todas as mensalidades. Ou seja, se deixar de ter uso para o bem ou se por algum motivo a empresa tiver dificuldades financeiras, continua a ter de pagar. Ao comprar, tem a flexibilidade para vender quando quiser.

Conveniência

Prós

O renting liberta tempo para se concentrar no seu negócio.  Assim que assinar o contrato, só precisa de se preocupar em pagar uma renda mensal. O locador trata da gestão e manutenção. Estão incluídos no serviço, e numa só fatura, todos os encargos relacionados com a utilização, desde a manutenção preventiva e corretiva, seguro, impostos, reparações, inspeções e gestão de acidentes. Isto permite um maior controlo de custos e disponibilidade financeira para fazer face a outras despesas ou necessidades do negócio.

Contras

Esta gestão paga-se e o custo é repercutido na mensalidade do renting. Por outro lado, está sujeito aos parceiros do locador para as manutenções e reparações.

A que tipo de bens se aplica o renting?

Para além das viaturas, a que muitos já associam ao renting, este serviço também está disponível para outros equipamentos profissionais. Disso são exemplo os equipamentos de segurança, de IT TI de fitness, têxtil, agrícola, audiovisual, médico, de cozinha ou de armazenamento.

Por exemplo, o renting de equipamentos de TI permite às empresas alugarem desktops, portáteis, tablets e smartphones, ou mesmo equipamento mais “pesado” como routers, redes e servidores.

O que considerar antes de fazer um renting?

O renting é um contrato. O que significa que ficará “preso” ao pagamento mensal da renda acordada até ao final da duração, mesmo que já não tenha uso para o equipamento. Por isso, é importante verificar um conjunto de questões antes de decidir avançar.

Faça a análise custo / benefício do equipamento

Determine como a empresa usará o equipamento que planeia alugar e o período de tempo em que este será necessário. Para o ajudar a decidir se o renting é uma opção vantajosa para si, faça uma análise de custo/benefício, comparando os custos previstos com a receita que espera gerar com o uso do equipamento.

Escolha um fornecedor da sua confiança

Quanto melhor o fornecedor entender o seu negócio, melhor poderá atender aos requisitos do equipamento que pretende alugar. O fornecedor deverá ter igualmente um forte conhecimento e provas dadas na área em que atua.

Calcule os seus pagamentos e os custos totais

Para evitar futuros mal-entendidos, é importante entender o número de pagamentos do contrato, o valor mensal/trimestral devido e quaisquer custos adicionais relacionados com seguros, impostos e outros encargos. Além disso, é importante compreender todas as cláusulas do contrato relativas a eventuais custos adicionais, incluindo taxas por atraso nos pagamentos ou alterações contratuais.

Deve conhecer a responsabilidade da sua empresa pelo equipamento que está a alugar antes de assinar o contrato. Certifique-se de que as condições são claras e não hesite em esclarecer qualquer dúvida que surja com o fornecedor ou diretamente com a locadora.

Veredito: o renting vale a pena?

Em resumo, o renting é uma solução viável para empreendedores que não dispõem do capital necessário para comprar ou para dar uma entrada inicial para os equipamentos de que necessitam para desenvolver a sua atividade.

Tem vantagens a nível da simplificação do processo de compra e da redução das tarefas administrativas. Também assegura uma maior previsibilidade de custos ao exigir apenas uma renda mensal, fixa e constante. Por fim, o renting é a forma mais fácil de assegurar que a empresa está sempre atualizada e que tem acesso a equipamento de última geração.

No entanto, esta estabilidade, simplicidade e modernização têm um custo. O valor de utilização por mês ao longo de toda vida útil do equipamento é superior com o renting do que com a compra – mesmo com alguns custos imprevistos pelo meio. Mas talvez mais preocupante para muitos empreendedores é o facto de as empresas ficarem presas ao bem durante a duração do contrato, não o podendo vender ou cancelar caso deixem de precisar ou se tiverem dificuldades financeiras.

OLX, simplificamos a gestão das empresas

No OLX, estamos empenhados em criar soluções simples e eficazes para ajudar as empresas a crescer. Por isso, desenhamos o portal OLX Pro, sem custos de adesão nem comissões sobre vendas. O registo é fácil e intuitivo, tem total flexibilidade para escolher os produtos à venda e gerir a sua presença online no OLX da forma que se adequar melhor. Por fim, tem ainda acesso a uma parceria exclusiva com os CTT que tratam de todos os envios sem que tenha de sair de casa. Para começar, basta preencher este formulário.


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário