Sou Pro

Nova onda de Covid-19: guia para preparar o seu negócio

Jovem em trabalho remoto

Durante a primeira onda de Covid-19, um estudo mostrou que 37% dos pequenos negócios seria incapaz de sobreviver à pandemia por um mês sem assistência.

No contexto atual de ressurgimento da pandemia de Covid-19 em Portugal e noutros países europeus, como se podem as empresas preparar?

Aprenda com a 1ª onda de Covid-19

Há lições a aprender com a resposta à primeira onda. 

Converse com colaboradores, parceiros e fornecedores para descobrir o que funcionou e o que precisa de ser melhorado: seja na velocidade de resposta, falta de infraestrutura, dificuldade no acesso aos apoios ou em aumentar a flexibilidade ou conhecimentos da equipa.

Surgiram problemas de stock ou aumentos de absentismo? Não existia equipamento de proteção individual (EPI) suficiente? Teve dificuldade em aceder a informação de apoios do estado? Tem novos produtos promissores ou em desenvolvimento para compensar as perdas de receita?

Depois de examinar sua resposta à primeira onda, elabore novas políticas e procedimentos para reforçar o que funcionou e corrigir o que tem de melhorar.

Identifique (e prepare) o máximo de cenários possível

O próximo passo é garantir que não é apanhado de surpresa pelo que vai acontecer nos próximos meses. 

Procure criar vários cenários de receitas e despesas em função das estimativas mais atualizados de duração da pandemia (por exemplo, a 3, 6, 12 e 18 meses com uma quebra de faturação estimada a partir da 1ª onda). Se possível, prepare um plano de contingência para cada eventualidade envolvendo os fornecedores e clientes. 

Estes diferentes cenários permitem antecipar os impactos financeiros e tomar decisões sobre a forma como aloca o capital. Por exemplo, se tiver um fornecedor essencial para sua cadeia de abastecimento num país com um surto do vírus, o impacto nos seus negócios pode ser significativo. Tenha estes temas em consideração e planeie em função disso.

Desenvolva novas fontes de receita

De acordo com um inquérito da PwC, 63% dos diretores financeiros entrevistados antecipam que as mudanças nas ofertas de produtos e serviços serão a parte mais importante da adaptação a uma nova onda.

E as perspetivas futuras para quem as empresas que o conseguirem fazer são positivas: 56% afirmam que o investimento em tecnologia tornará a empresa melhor no longo prazo e, para 53%, a situação atual resultou em novas maneiras de acrescentar valor aos clientes.

Apesar do otimismo, muitas pequenas e médias empresas ainda estão focadas num único produto, serviço ou mercado, o que coloca pressão sobre os negócios, especialmente durante uma pandemia global. Considere explorar mercados adjacentes ou novos produtos e serviços para sua base de clientes existente. Durante a primeira onda da pandemia, por exemplo, vimos designers de moda a criar máscaras e destilarias a produzir desinfetantes para as mãos.

15 nichos de mercado para acompanhar nos próximos anos

Porque não optar por colocar o seu negócio numa plataforma de e-commerce com elevado volume de visitantes e vendas? O OLX é um verdadeiro shopping online que reúne vários vendedores e clientes num único local.

A grande vantagem é a visibilidade e o poder de atração que conferem à marca. Mas como começar a vender no maior Marketplace do país? O OLX Pro veio descomplicar esta tarefa para empreendedores que procuram uma forma imediata de começar a vender para uma audiência alargada. O OLX conta com 80.000 compradores diários e 14 milhões de visitas mensais, o mais visitado do país.

Corte (ainda mais) nas despesas desnecessárias

Apesar do otimismo na capacidade de adaptação das empresas, reina a cautela entre CEO e CFO: um estudo recente mostra que 79% está a considerar implementar (mais) medidas de contenção de custos, e 52% considera adiar ou cancelar investimentos planeados como resultado da COVID-19. 

Um inquérito a 5.800 empresas descobriu que um dos maiores obstáculos para navegar com sucesso na pandemia era o fluxo de caixa: a maioria das empresas com despesas mensais superiores a 10.000 € só tem dinheiro em caixa para sobreviver duas semanas sem qualquer receita ou assistência

Quando o fluxo de caixa é interrompido, as reservas de caixa apoiam os negócios a ultrapassar esses maus momentos. Em antecipação a outra onda de pandemia, é essencial aumentar a liquidez para fazer face a essas despesas.

Depois da 1ª onda, muitas pequenas empresas já estão a operar da forma mais lean possível, por necessidade. No entanto, se sobrar alguma “gordura” no orçamento, agora é a hora de a cortar. 

Adote as novas formas de trabalhar, talvez de forma definitiva

Muitas empresas foram forçadas a passar a trabalhar totalmente online durante a pandemia.

Agora é um bom momento para avaliar como esse período afetou o seu trabalho e fazer os ajustes necessários para ser mais eficaz no novo método escolhido.

Se a procura pelo atendimento presencial diminuiu, por exemplo, procure novas formas de colocar mais do seu negócio online e formar os colaboradores nesse sentido.

Por outro lado, é importante preparar o seu negócio para a possibilidade de vir a ter um surto na sua empresa. Este é um bom momento para treinar colaboradores para fazer trabalhos essenciais que não podem ser adiados se um colega estiver doente. 

Certifique-se de que existe outra pessoa capacitada para cobrir cada função essencial e que tem acesso a tudo o que é necessário para assumir essa tarefa no curto prazo.

Aumente (ainda mais) a presença online do seu negócio

O fecho da economia empurrou os clientes para as compras digitais mostrando ao consumidor que poderia ter confiança neste novo canal. 

Até ao início da pandemia e consequente lockdown da economia, apenas 3% das vendas a retalho em Portugal eram realizadas online, segundo dados recolhidos pelo Barómetro CTT e-commerce Covid-19. A expectativa deste barómetro é que haja um incremento de 40 a 50% no e-commerce até ao final 2020.

Como preparação para uma nova onda, o seu negócio deve contar com uma presença online reforçada:

  • Se ainda não tem qualquer presença online, o OLX é a forma mais fácil de começar. Pode criar um perfil diretamente na página do OLX e começar a vender online com apenas alguns cliques. 
  • Se já tem um site, mas não uma loja online, deixamos a mesma recomendação. O OLX é o shopping virtual com mais visitas do país – são mais de 80.000 compradores, todos os dias.
  • Otimize o branding e marketing, reveja e aumente a eficiência dos seus processos logísticos e de entregas para estar pronto caso tenha de depender das vendas online.

Se não sabe como criar uma presença online, entre em contacto com a equipa do OLX, que o pode guiar com passos simples que não exigem experiência nem conhecimentos de programação. Ter uma presença online está ao alcance de todos.

Prepare hoje o seu plano de contingência

Se a pandemia COVID-19 nos ensinou uma coisa, é que as pequenas empresas devem esperar o inesperado; essa capacidade de preparação pode ser a diferença entre sobreviver ou fechar.

O foco imediato para todas as empresas é encontrar formas de ganhar liquidez, desenhar novas fontes de receita, ser mais eficiente nas suas formas de trabalhar e cortar despesas desnecessárias.

Pronto para começar? Crie o seu perfil com apenas alguns cliques. São 80.000 consumidores por dia à sua espera. Boas vendas!


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário