Sou Pro

Design Thinking: o que é esta metodologia e qual a vantagem para o seu negócio

Conceito Design Thinking. Empresários reunidos no escritório a trocar ideias

O Design Thinking é uma metodologia utilizada para melhorar a experiência de utilização de um produto ou serviço. É um processo de resolução problemas, de forma estruturada e iterativa, que assenta em alguns princípios fundamentais:

  • Os utilizadores (de produtos, sites, apps) estão no centro do processo. São a principal fonte de conhecimento, identificam os problemas e testam soluções.
  • É baseado na observação direta da forma como os utilizadores interagem com um produto ou serviço, e não com base em estatísticas ou feedback em 2ª mão.
  • O Design Thinking é baseado em evidências, não opiniões. A metodologia apoia-se nas evidências de como os utilizadores se relacionam com um produto ou serviço, ao invés das opiniões da equipa de projeto.
  • Funciona em ciclos de melhoria curtos. O Design Thinking troca os tradicionalmente longos processos de desenvolvimento por múltiplos ciclos curtos de implementação, de forma incremental, com base no feedback dos utilizadores.

Qual é a diferença entre o Design Thinking e a abordagem tradicional de resolução de problemas?

Existem muitas formas de estimular novas ideias. Ainda assim, as equipas de inovação e os empreendedores sentem muitas vezes dificuldades em utilizá-las no dia-a-dia. Valerá então a pena experimentar o Design Thinking? O que o torna tão apelativo?

A principal diferença do Design Thinking face a outros métodos de resolução de problemas é que está orientado às pessoas e endereça de forma muito direta a resistência à mudança que todos sentimos perante algo novo. 

Ao seguir um processo de Design Thinking, a equipa de desenvolvimento – seja 1 ou 20 pessoas – é obrigada a deixar de parte as suas próprias opiniões e reconhecer as necessidades que os clientes demonstram.

Cada etapa do processo, cada interação com o cliente, ajuda a que as equipas desenvolvam as suas ideias e que resolvam conflitos quando surgem diferenças. Pelo meio e com o tempo, as pessoas habituam-se a experimentar coisas novas e o receio de mudar diminui.

Como o Design Thinking é suportado numa estrutura, as pessoas sentem-se mais confortáveis ​​a testar novas ideias o que aumenta a colaboração.

Qual é a vantagem do Design Thinking?

Mais e melhores soluções

Os métodos de resolução de problemas tradicionais levam, muitas vezes, a soluções que são o reflexo da visão de um conjunto reduzido de interlocutores. Provavelmente já lhe aconteceu: está numa reunião de “brainstorming” em que teoricamente todos participam, até que alguém, pela sua autoridade ou experiência, decide acelerar o processo e atalhar para as soluções que lhe parecem mais óbvias. Naturalmente, esta forma de resolver problemas termina numa solução que é o espelho dessas pessoas. O Design Thinking obriga todos numa organização a fazer perguntas aos utilizadores, a ouvir e processar as respostas, independentemente do cargo que ocupam.

Menos risco

No desenvolvimento de novas ideias existe a tendência de acelerar a chegada de um primeiro produto funcional ao mercado, para o testar rapidamente e recolher feedback dos clientes. No entanto, quando o produto chega ao mercado, já foram investidos recursos consideráveis para criar um produto apresentável. Para além disso, as empresas que operam desta forma introduzem um grande número de inovações numa única entrega ao mercado. Este método torna difícil avaliar o feedback dos clientes, e dificulta a utiliza dessas opiniões para otimizar os produtos. O Design Thinking permite testar e reagir a pequenas inovações incrementais, em vez de arriscar tudo numa única entrega final.

Maior envolvimento

Uma inovação não terá sucesso a menos que os colaboradores a apoiem – a equipa comercial vai ser mais empenhada em vender os novos produtos; a equipa de produção vai dar boas sugestões para o otimizar; a equipa de marketing vai encontrar formas criativas de os promover. O caminho mais seguro para obter o apoio generalizado é envolver as diferentes equipas no processo de geração de ideias. A vantagem do Design Thinking é a estrutura que traz ao desenvolvimento e que permita a participação de todos.

As 6 etapas do desenvolvimento de produto

Como implementar o Design Thinking na sua empresa

O processo de Design Thinking segue 5 etapas essenciais:

1# Compreender os porquês

A primeira etapa é conhecer o que move os utilizadores. Não se trata apenas de entender o que o cliente quer ou precisa. Em vez disso, esta etapa consiste em dedicar tempo a compreender o “porquê” do cliente, o que o leva a utilizar um determinado produto ou serviço, e não outro.

2# Definir o problema

Nesta etapa do processo de Design Thinking, define o problema que está a tentar resolver – as dificuldades que os consumidores enfrentam, e o que causa maiores tensões na utilização do produto.

Uma correta definição do problema identifica uma lacuna entre o estado atual (ou seja, o problema) e o estado desejado (o objetivo) de um processo ou produto. Um bom exemplo da definição de problema seria algo como: “Os profissionais ocupados precisam de uma maneira fácil e rápida de se alimentar de forma saudável, porque muitas vezes trabalham horas longas e não têm tempo para fazer compras e preparar as refeições.”

3# Gerar ideias

A próxima etapa é fazer um brainstorming de ideias sobre como resolver o problema identificado. Essas sessões podem ser em grupo ou feitas individualmente. O importante é gerar a maior diversidade de ideias possível. No final deste processo, a equipa determina um conjunto de ideias (não apenas uma) que devem seguir para a próxima fase.

4# Prototipar

Nesta fase, o objetivo é materializar rapidamente as ideias selecionadas na fase anterior. Em vez de amostras ou Minimum Viable Products – que  requerem investimentos de tempo e recursos – o objetivo é construir algo simples, rápido e lowcost que permita apenas avaliar a reação dos utilizadores.

Como exemplo, pense numa landing page com apenas algumas imagens e esquemas do produto; ou um pequeno vídeo demonstrativo para colocar nas redes sociais. Já é suficiente para despertar uma reação.

5# Testar

Depois de fornecer uma primeira visão da solução aos consumidores, pode observar. Nesta fase, é importante recolher o feedback – o que os consumidores comentam, onde passam mais tempo, onde têm mais dificuldade.

O processo de Design Thinking é iterativo, não linear. O que isto significa é que no final do passo 5, pode ter de volta a um dos passos anteriores. Talvez o teste tenha mostrado que precisa de melhorar o protótipo, ou que definiu incorretamente as necessidades do consumidor.

Para testar novos conceitos, nada mais fácil do que começar por os disponibilizar no OLX. É o maior marketplace do país, com 80.000 consumidores diários, e pode começar de forma totalmente gratuita. Pode até personalizar a sua página dentro do site OLX para manter a sua identidade. Siga as pisadas de dezenas de negócios portugueses que começaram no OLX.

O Design Thinking é uma abordagem estruturada de resolução de problemas. É um processo iterativo, que coloca o utilizador no centro, para o ajudar a compreender melhor as motivações dos seus clientes, definir problemas e soluções, e criar estratégias lowcost para avaliar a reação do público antes de comprometer recursos a desenvolver uma solução definitiva. Comece hoje a implementar na sua organização e conte com o seu parceiro digital, o OLX.


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário