Sou Pro

Crowdfunding: uma alternativa para financiar o seu negócio

Jovem empreendedora a trabalhar no portátil

Em Portugal, o conceito de crowdfunding é ainda bastante recente. No entanto, a existência de várias plataformas para este fim permite antever o enorme potencial desta opção de financiamento.

As primeiras plataformas para o financiamento coletivo surgiram em 2016 no Reino Unido e, nos anos seguintes, desenvolvem-se de forma acentuada também nos EUA e na China. Só posteriormente ganharam terreno na Europa, onde se têm atingido nos últimos anos valores de financiamento bastante interessantes.

Na UE, em 2013, calcula-se que o financiamento colaborativo cedido aos consumidores e às empresas ronde os 1.127 milhões de euros, subindo para 2.933 milhões em 2014 e 5.431 milhões em 2015. Daí em diante, esta forma de financiamento tem vindo a conquistar algum destaque e a tornar-se cada vez mais apelativa e popular.

O que é o crowdfunding

Muitas ideias de negócio acabam por nunca avançar ou serem bem-sucedidas mesmo antes da sua implementação e, em grande parte dos casos, este insucesso deve-se à falta de investimento. E é precisamente nestas situações que o crowdfunding se apresenta como uma alternativa bastante promissora.

O crowdfunding, também designado financiamento colaborativo, consiste num modelo de financiamento de projetos ou entidades, construído com base em contribuições angariadas através de plataformas específicas para este efeito.

Com este método de financiamento, os projetos ou entidades terão a possibilidade de obter o capital necessário para darem início aos seus negócios, através de doações feitas por diferentes investidores.

Como criar uma empresa passo a passo

Como funciona o crowdfunding

No geral, todo o processo associado ao crowdfunding é bastante simples e com recurso a plataformas criadas especificamente para a sua gestão.

Em primeiro lugar, o empreendedor deve fazer uma apresentação sobre a sua ideia ou projeto (de preferência, um pequeno vídeo) e, para isso, deve explicar detalhadamente em que consiste o negócio, de que forma pretende desenvolvê-lo, quais os seus pontos fortes, perspetivas e projeções futuras e também qual o montante de financiamento que necessita.

No final do prazo definido para angariar o montante necessário, e apenas caso este seja atingido, o empreendedor recebe o financiamento. No caso de o objetivo não ser alcançado, todos os valores são devidamente devolvidos aos respetivos investidores.

Tipos de crowdfunding

Quando falamos em crowdfunding é importante ter em conta qual a contrapartida do investimento. Por essa razão, distinguem-se 4 modalidades possíveis para este modelo de captação de financiamento.

  • Donativo: Neste caso, a entidade a financiar recebe um donativo, independentemente da entrega, ou não, de uma contrapartida aos seus investidores.
  • Recompensa: Nesta modalidade, a entidade que será financiada é obrigada a recompensar o investidor como contrapartida do seu investimento, ou seja, compromete-se a prestar o serviço ou fornecer o produto implícito neste mesmo financiamento.
  • Empréstimo: No crowdfunding por empréstimo, a entidade que recebe o financiamento vê-se obrigada a remunerar os investidores através do pagamento de um valor e respetivos juros acordados aquando da angariação.
  • Capital: No caso de crowdfunding por capital, o investidor tem direito a uma participação no capital social da empresa, bem como à distribuição de dividendos ou lucros.

Vantagens e desvantagens do crowdfunding

A opção de crowdfunding pode trazer às partes envolvidas diversas vantagens, mas, no entanto, existem diversos aspetos a analisar antes de avançar com este tipo de investimento.

Vantagens

  • Para o empreendedor, a principal vantagem é ver o seu projeto financiado e divulgado;
  • Reduz consideravelmente o risco associado à criação e investimento numa nova empresa;
  • A divulgação das ideias ou projetos é bastante imediata e acessível, com custos baixos ou até mesmo inexistentes;
  • Qualquer pessoa pode ser um investidor, pois existe a possibilidade de investimento de quantias baixas.

Desvantagens

  • As quantias angariadas através de crowdfunding podem ser suficientes para iniciar um negócio, mas podem não assegurar a continuidade do mesmo;
  • Para projetos com um elevado capital de investimento inicial, este pode não ser o método de financiamento mais adequado;
  • Tenha cuidado no momento de apresentar a sua ideia ou o seu negócio. Há sempre o risco de ser plagiado e, por isso, certifique-se que tem o seu projeto salvaguardado;
  • É necessário algum cuidado com as plataformas de crowdfunding que escolhe. Estude bem a plataforma e procure referências de forma a diminuir o risco de fraude.

Quero recorrer ao crowdfunding: o que tenho de fazer?

Atualmente, existem diversas plataformas especializadas em cada uma das modalidades de crowdfunding existentes e todo o processo é, no geral, bastante simples.

  1. Após uma análise cuidada da plataforma onde irá trabalhar, o empreendedor tem de apresentar a sua ideia, projeto ou negócio. Será esta apresentação a responsável por gerar interesse no público e incentivar os investimentos;
  2. Paralelamente, poderá criar a campanha de angariação de fundos que pretende para financiar a sua entidade ou projeto em específico;
  3. Com toda esta informação, o público poderá consultar as campanhas a decorrer em determinada plataforma e decidir se é ou não do seu interesse investir nas mesmas;
  4. O investimento poderá ser gratuito ou, dependendo da modalidade definida, exigir algum tipo de contrapartida;
  5. Finalizado o período definido para a campanha, o financiamento é entregue ao empreendedor ou entidade. Mas, no caso de a campanha não gerar angariações que totalizem o capital necessário, todos os montantes doados são devolvidos a cada investidor.

O crowdfunding é um método de captação de investimento já devidamente regulamentado, existindo mesmo um regime jurídico e legislação específicos para o mesmo.

Uma boa ideia ou um projeto bem construído podem, muitas vezes, estar condenados ao fracasso se não forem desenvolvidos tendo por base uma estratégia bem sustentada. Mas, felizmente, no mercado de trabalho atual, os empreendedores contam com uma grande diversidade de ferramentas capazes de auxiliar e otimizar todo este complexo processo.

É o caso do OLX Pro. O OLX disponibiliza a todos os empreendedores uma plataforma que permite a gestão de um negócio de uma forma mais personalizada, sustentada e integrada. Para isso, conta com o suporte de profissionais especializados que trabalham de forma síncrona para que cada projeto adquira a sua própria identidade, aumentando assim a sua visibilidade e melhorando os seus resultados. Esta solução integrada é uma alternativa que lhe permitirá desenvolver e alavancar todo o seu negócio de uma forma simplificada e eficaz.

Se no futuro pretende recorrer ao crowdfunding como alternativa para financiar o seu negócio, o OLX dá-lhe todas as ferramentas para apresentar o seu projeto de uma forma organizada e estruturada, sendo a chave para a sua expansão e crescimento.


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário