Sou Pro

As 6 novas tendências de consumo pós-Covid19

Pagamentos digitais

A década ainda agora começou, mas o impacto da Covid-19 já fez emergir novas tendências de consumo e um novo consumidor. Ele é mais digital e mais consciente sobre o que compra e até prioriza a produção local.

Este novo consumidor do pós covid-19 é influenciado por três fatores: a redução de riscos, a flexibilidade e a facilidade em fazer negócio. São estas três necessidades básicas que estão na base das novas tendências de consumo.

Qual é o comportamento dos consumidores?

1. Mais compras online

As novas tendências de consumo são marcadamente digitais. O consumidor que já comprava online aumentou a quantidade de compras que fazia por este meio e os que não priorizavam este meio, começaram-lhe a dar mais importância. Segundo um estudo da Kantar, 32% das famílias aumentou os seus gastos com o e-commerce e a Kantar considera, inclusive, que este mercado crescerá ainda mais em 2021 com esta aceleração dada pela pandemia. Esta é a altura certa para aproveitar as vantagens de uma plataforma de vendas online como OLX.

2. Pagamentos digitais em meios offline

Segundo este estudo da Marktest, 25,1% dos portugueses dizem agora utilizar menos dinheiro para efetivar compras e os métodos de pagamentos digitais através do smartphone ou cartões contactless ganham cada vez mais relevância.

3. Menos tempo em lojas físicas

Uma das novas tendências de consumo também está a levar o cliente a passar mais tempo em lojas online do que em lojas físicas. Segundo o mesmo estudo mencionado acima, 41,4% dos portugueses diz querer passar menos tempo em lojas físicas.

4. Consumidor mais atento e exigente

O consumidor está mais atento aos preços e à origem dos produtos e serviços que adquire como resultado do corte dos salários, das preocupações com o bem-estar e com a economia no pós Covid-19. O consumidor usa cada vez mais informação para decidir qual a marca que consome e exige um comportamento exemplar vindo dela.

5. Valorização do que é nacional e do comércio local

Esta nova tendência de consumo é influenciada por dois fatores: a limitação das deslocações e um sentimento de solidariedade para ajudar a economia local e nacional. Um exemplo disso é o aumento da procura do turismo interno.

6. Flexibilidade e segurança

Em reservas de serviços ou compras avultadas, o consumidor precisa de sentir que tem flexibilidade para mudar de ideias, voltar atrás ou mesmo adiar as suas compras. As marcas precisam de passar esta segurança aos consumidores e serem flexíveis no produto ou serviço que comercializam. Precisam de criar meios para facilitar o processo de compra e as devoluções online e precisam de ser transparentes durante todo o processo.

O exemplo da Nike na resposta às novas tendências de consumo

A Nike é uma das muitas marcas globais que está a ajustar o seu modelo de negócios para dar resposta às novas tendências de consumo no pós Covid-19. 

A gigante mundial acelerou ainda mais a sua transformação digital e está a eliminar intermediários e a focar-se no mundo digital. A estratégia é criar um “One Nike Marketplace” e centralizar os clientes quer das lojas do grupo, quer de alguns parceiros no mundo digital da Nike. A marca quer, através disso, criar um banco de dados comuns dos clientes para que lhes possam entregar uma experiência ainda mais personalizada. 

Ainda sobre esta reinvenção do modelo de negócio da Nike, fica mais um bom exemplo. Em vez da marca se estar a focar nas categorias de produtos que já tem, virou a sua atenção para o tipo de cliente. No novo modelo de negócios da Nike, haverá mais foco em produtos para crianças e mulheres, um público ao qual a marca não tem dado tanta atenção.


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário