Sou Pro

Que apoios ao empreendedorismo existem em Portugal?

jovem empreendedor no escritório

Seja no lançamento de uma startup, ou de uma microempresa mais tradicional, o financiamento pesa sempre na realidade de qualquer empreendedor. É uma etapa que assusta, principalmente quando se está a começar. Para saltar essa barreira reunimos uma lista de apoios ao empreendedorismo em Portugal. Mas antes de chegarmos lá, abordamos os dados que ilustram a cultura empreendedora no nosso país.

O cenário do empreendedorismo em Portugal

De 0 a 100, o Banco Mundial deu uma classificação de 90.9 a Portugal quanto à facilidade de começar um negócio no nosso país. Para esta classificação, muito contribuiu a simplificação dos processos para começar uma empresa, como o Empresa na Hora, e os apoios ao empreendedorismo em Portugal. 

Mas no relatório do Global Entrepreneurship Monitor, onde é analisado o estado do empreendedorismo em Portugal, o cenário positivo demonstrado pelo Banco Mundial contrasta com algum receio dos empreendedores portugueses.  

Segundo o relatório:

  • Mais de 50% dos entrevistados em Portugal reconhecem a existência de boas oportunidades de empreendedorismo;
  • No entanto, 60% tem receio de falhar ao começar um negócio mesmo reconhecendo as boas oportunidades existentes;
  • Um pouco mais de 60% reconhece ter o conhecimento, skills e experiência para começar um negócio;
  • Mas cerca de 55% diz que mesmo vendo uma boa oportunidade, raramente a agarra; 
  • A motivação que mais pesa nos empreendedores portugueses é a criação do seu próprio trabalho (mais de 50%). De seguida, surge a criação de riqueza como a segunda motivação a ser mencionada;
  • Dos 54 países estudados, o Índice Nacional de Empreendedorismo de Portugal encontra-se no 38º. A Suíça lidera o ranking, seguida pelos Países Baixos e o Qatar.

Apoios ao empreendedorismo que todos deviam conhecer

Antes de passarmos aos apoios, uma nota de cautela: ao iniciar a sua atividade deverá investir o máximo de capital próprio possível. Regra geral, no mínimo a contribuição total dos sócios deverá ser 30%, para que se evitem endividamentos acima dos 70% do total de financiamento necessário.

Estes são os principais apoios ao empreendedorismo em Portugal.

1. Concursos e Prémios de Empreendedorismo

Estes concursos são, antes de mais, uma forma de networking e de encontrar investidores importantes para lançar o seu negócio. 

Para além da possibilidade de prémios financeiros, muitos concursos de empreendedorismo incluem a bootcamps de aceleração de empresas, acompanhamento por especialistas e até apoio na preparação de planos de negócios.

Em Portugal, o maior concurso de empreendedorismo é o Acredita Portugal. Este ano, o concurso já se apresenta na sua fase final, com o vencedor a ser conhecido em meados de Outubro ou Novembro. Por norma, as fases de candidatura a este concurso abrem em Janeiro e é expectável que assim seja também em 2021. 

2. Vouchers StartUP

Estes vouchers são uma ferramenta de apoio ao empreendedorismo lançada pelo Estado. Os vouchers são destinados a empreendedores entre os 18 e 35 anos (sem qualquer empresa) e que se apresentem numa equipa de 2 a 5 elementos. 

O objetivo destes vouchers é dinamizar os projetos de empreendedorismo de caráter inovador e criativo que se encontrem numa fase de ideia.  Os apoios concedidos são sob a forma de uma bolsa mensal, mentoria e acompanhamento ao desenvolvimento do projeto. 

A última fase de candidatura deste ano decorre até 26 de Novembro de 2020. Pode submeter a sua candidatura através do link oficial do IAPMEI. 

3. Vale de Incubação

Destinado a empresas com menos de um ano, este apoio financia a contratação de serviços de incubação. Dos serviços elegíveis destacamos: gestão, marketing, assessoria jurídica, desenvolvimento de produtos e serviços.

Este incentivo tem um limite máximo de 7.500€. As candidaturas estão divididas por regiões e cada região tem uma data diferente. Saiba mais sobre este apoio aqui. 

4. Fundo de Coinvestimento 200M

Este fundo, que funciona através de capitais públicos e investidores privados, foca-se em startups e PMEs de elevado potencial de crescimento em Portugal.  O investimento para cada startup pode ir dos 500 mil aos 5 milhões de euros. 

Entre algumas das startups que já obtiveram financiamento através deste fundo, destaque, por exemplo, para a Indie Campers ou a Barkyn.

Para se candidatar a este fundo precisa de um co investidor. É ele que apresenta a candidatura a este fundo, e deve fazê-lo até ao final de 2020 (à exceção de projetos para a região de Lisboa).

5. Fundo de Inovação Social

Com base numa estratégia de desenvolvimento de uma economia inclusiva e sustentável, este fundo de investimento público apoia o empreendedorismo social. 

Inclui uma linha de crédito e outra de capital. A linha de crédito assegura melhores condições junto a instituições bancárias e Sociedades de Garantia Mútua. A linha de capital funciona através do coinvestimento privado.

As candidaturas estão abertas e podem ser realizadas aqui.

6. +CO3SO Emprego

Este apoio do Estado a fundo perdido destina-se a promover o emprego e o empreendedorismo. Atribuído ao longo de 36 meses, apoio a 100% os custos com a criação de trabalho (salários e respetivas contribuições sociais), entregando ainda uns adicionais 40% sobre esse valor. 

Destina-se quer a PMEs já existentes, quer a empreendedores a criar o seu próprio emprego. A primeira fase de candidaturas decorreu até 15 de Setembro mas fique atento porque é provável que as candidaturas voltem a abrir. Fique a par das novas candidaturas através do Portal dos Incentivos ou o Portugal 2020

7. Programa Invest Jovem

Este programa ajuda desempregados que queiram empreender e criar o seu próprio negócio. O Invest Jovem destina-se a empreendedores com até 30 anos. As candidaturas estão abertas mas deverá primeiro verificar com atenção se é elegível.

Obtenha mais informações através da página de empreendedorismo do IEFP.

8. Incubadoras, Fundos de Capital de Risco, Business Angels e o Banco Português de Fomento

Por fim, aglomeramos várias formas de apoio ao empreendedorismo em Portugal. As incubadoras de empresas, presentes em muitas das universidades portuguesas, são uma excelente forma para que jovens tenham as instalações e acompanhamento necessário para lançar a sua empresa. 

Os Fundos de Capital de Risco, destinados a startups em fases de pré-seed ou early stage, são uma forma de financiamento disponível em qualquer altura do ano. Pode descobrir alguns destes fundos através da página da PME Investimentos.

Os Business Angels são outra forma de investimento destinada a startups. A Associação Portuguesa de Business Angels é o sítio a pesquisar para encontrar mais informações.

Por fim, destacamos o lançamento do Banco Português de Fomento, um instrumento do Estado que visa apoiar o empreendedorismo e as empresas em Portugal. O Banco Português de Fomento arranca já neste Novembro.

Para mais informações sobre apoios ao empreendedorismo ou incentivos a pequenas e médias empresas, consulte este artigo. Aqui obterá informações acerca de benefícios fiscais e de incentivos financeiros que podem ser úteis numa fase seguinte ao lançamento da sua empresa.

Como preparar a candidatura da sua empresa?

Para se candidatar a um concurso, instrumentos de financiamento ou outros apoios ao empreendedorismo, precisará de uma apresentação.

Segundo o “Guia Prático do Empreendedor” do IAPMEI, uma apresentação deve abordar estes 10 pontos, onde cada ponto deverá ser um slide:

1. Qual o problema que vai resolver;

2. Qual a solução que se apresenta para o problema;

3. O Modelo de negócios associado (como vai gerar receitas);

4. Tecnologia/ processo/ “magia” que permite a solução apresentada;

5. Marketing e Vendas: abordagem comercial escolhida;

6. Concorrência existente no mercado;

7. Equipa envolvida no projeto (experiência, competências e responsabilidades);

8. Projeções e metas previstas, com expectativas de vendas e custos;

9. Situação atual e calendário;

10. Sumário e motivação final para receber o apoio.

No caso da apresentação estar inserida num concurso de empreendedorismo ou que envolva a necessidade de realizar um pitch, precisará de algo bem mais curto. O pitch é uma apresentação curta de 3 a 5 minutos que se foca no essencial da sua ideia. Assim, aconselha-se a que se foque apenas nos seguintes pontos:

1. O problema que a sua ideia resolve;

2. O público-alvo desse problema;

3. A sua solução;

4. O diferencial da sua solução que garante que a sua ideia se concretize e se destaque.

Outra forma de preparar um pitch é respondendo às seguintes questões: o quê, porquê, quando, como, porquê e quem.

Lançar um negócio online é bem simples

Se procura uma alternativa a estes apoios ao empreendedorismo, pode apostar em vendas através de um Marketplace. É um processo bem mais simples e mais barato quando comparado aos métodos de comércio tradicionais.

Com o OLX Pro pode criar a sua loja personalizada dentro de um marketplace com mais de 80 mil compradores diários.


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário