Sou Pro

4 aplicações financeiras para empresas

aplicações financeiras para empresas

As aplicações financeiras para empresas diversificam fontes de receita, fortalecem o património e asseguram meios para uma eventual expansão de atividade. Estes são os 4 veículos que podem ajudar a sua empresa a gerar mais rentabilidade, de uma forma inovadora.

O que são aplicações financeiras para empresas?

As aplicações financeiras para empresas são formas de obter um retorno financeiro a partir da compra de um ativo; ou seja, para além de receber de volta o valor investido na compra, há também a expectativa de receber um valor excedente, correspondente a juros ou dividendos.

As aplicações financeiras encerram sempre um grau de risco variável de acordo com a sua tipologia e, por isso, o investimento deve ser antecedido por uma cuidadosa e ponderada avaliação de todos os elementos intervenientes.

Assim, no momento de investir, já terá decidido o risco que quer assumir. A principal recomendação dos negociadores mais experientes, aplicável a qualquer aplicação financeira que escolha, é: diversifique e doseie o risco.

Que aplicações financeiras para empresas devo considerar?

O mercado de aplicações financeiras é muito vasto, mas deixamos-lhe aqui algumas das principais preferências dos investidores.

1. Depósitos a prazo

Os depósitos a prazo continuam a liderar a preferência do investimento dos portugueses, sobretudo de investidores com baixa tolerância ao risco. Esta aplicação financeira ainda é a mais estável, sem risco, mas com potencial de retorno, ainda que garantido, muito reduzido. Geralmente, é necessário injetar um montante elevado para obter boas taxas de juro.

Com esta solução, apenas precisa de escolher o prazo, o montante e a possibilidade de programar a poupança de forma flexível e ajustada à sua atividade. Durante o prazo em que se constitui, não são permitidas entregas, e os rendimentos apenas podem ser exigidos findo esse período.

Na generalidade dos casos, não existem despesas adicionais, e a taxa de juro é conhecida desde a constituição, o que permite calcular com precisão o resultado do investimento e o momento da respetiva entrada.

2. Fundos de investimento

Os fundos de investimento são constituídos por um conjunto de parcelas de investimento individual de vários investidores, que aplicam o capital em ativos financeiros, como, por exemplo, ações, obrigações ou matérias-primas. Essas parcelas autónomas designam-se por unidades de participação, e são emitidas a um determinado valor no mesmo momento da constituição do fundo, o que permite quantificar a sua valorização. Os fundos de investimento estão disponíveis em quatro tipologias distintas:

  • Fundos de Curto Prazo. São fundos de baixo risco e elevada liquidez, não garantindo, contudo, o capital na data de reembolso.
  • Fundos de Obrigações. Fundos com uma lógica de investimento alicerçada, sobretudo, em obrigações de taxa fixa ou taxa indexada.
  • Fundos de Ações. Fundos que apresentam maior risco pela sensibilidade a variações de preço, mas com um potencial de rendimento superior.
  • Fundos Mistos ou Multiativos. Fundos que conjugam diferentes classes de ativos, cujo risco e rentabilidade se encontram dependentes da proporção de cada um.

Esta aplicação financeira é uma das formas que proporciona maior diversificação de investimentos, com consequente melhor rentabilidade a longo prazo.

3. Criptomoedas

Apesar de o investimento em criptomoedas ser considerado de alto risco, vale a pena olhar de perto para esta nova forma de ativos digitais que está a conquistar o mundo. A alta volatilidade que encerra pode ser compensada a longo prazo com uma tendência estável de crescimento.

Uma das vantagens mais notáveis deste investimento é o facto de não estar ligado à economia ou à política de qualquer país, nem sob controlo de qualquer instituição financeira. Na verdade, não existem intermediários nas transações, sendo este um processo puramente virtual.

Contudo, o que constitui uma vantagem pode também rapidamente transformar-se numa desvantagem. Não existindo intermediários, as regras de investimento também não são regulamentadas, o que pode acarretar alguns riscos. Por isso, antes de decidir investir nestes ativos, avalie de forma ponderada as condições do seu funcionamento para retirar a máxima rentabilidade possível.

4. Divisas/Forex

O Forex é um dos mercados com maior liquidez, e apresenta oportunidades de investimento em qualquer momento, sem dependência das oscilações do mercado. Está sempre disponível (24 horas por dia e 7 dias por semana), e é acessível a qualquer pessoa com computador e ligação à internet.

Não necessitará de investir um valor alto para começar e poderá mobilizar o seu investimento a qualquer altura. Contudo, é necessária preparação e experiência para gerir o alto risco associado a esta forma de investimento. Dado que se movimenta num mercado altamente especulativo, volátil e complexo, pode apresentar algumas armadilhas para os negociadores menos experientes. É, por isso, necessária uma estratégia de negociação sistemática e uma seleção cuidadosa dos pares de moedas para extrair bons resultados desta aplicação financeira.

OLX Business, o parceiro de empresas que querem crescer e expandir o seu negócio

O OLX Business está ao lado de empresas focadas no crescimento e, para isso, disponibiliza, uma solução profissional completa para a digitalização de negócios, sem comissões sobre as vendas. Registe-se já hoje no OLX Business.


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário