Sou Pro

10 erros a evitar ao criar um plano de negócios

Equipa a discutir ideias de negócio

Todas as empresas precisam de um plano de negócios. Se for bem pensado, este documento permite-lhe identificar oportunidades de melhoria, serve de base para discussões construtivas com parceiros, dá-lhe acesso a financiamentos e acima de tudo serve como referência contra a qual pode ir comparando os resultados obtidos.

Quer esteja a pensar começar uma empresa, lançar um novo produto ou preparar o próximo ano, é sempre boa ideia recorrer a um plano de negócios antes de executar.

O que deve constar num plano de negócios realista

Estes são os elementos essenciais de um plano de negócios.

  • Sumário executivo. Esta parte do plano de negócios resume as informações mais importantes, de preferência numa única página. Para ser eficaz, deve conter os principais objetivos a atingir, a missão da empresa, e incluir uma breve descrição dos produtos e serviços. 
  • Descrição da empresa e produtos. A descrição da empresa deve dar a conhecer o conceito da empresa, o seu público-alvo e, de uma forma breve, os principais aspetos diferenciadores dos produtos e serviços que comercializa.
  • Análise do mercado. Refere-se à informação do mercado em que vai atuar. Recorra a dados e estatísticas para caracterizar o mercado e estimar o valor potencial do negócio. Além disso, inclua informações sobre os consumidores, como o valor médio de gastos anuais em produtos parecidos com o seu.
  • Análise da concorrência. Um bom plano de negócios apresenta uma comparação clara do seu negócio com concorrentes diretos e indiretos. Identifique claramente os pontos fortes e fracos da sua oferta.
  • Equipa. Um dos elementos essenciais de um bom plano de negócios é a apresentação da equipa de gestão e das valências que trazem à empresa. De uma forma resumida, procure resumir a experiência de cada pessoa, a área que irá acompanhar (como Comercial ou Operações) e porque acredita que é uma boa escolha.
  • Plano de marketing. Como vai apresentar os produtos e serviços a potenciais clientes? Identifique as etapas e canais que vai utilizar para se promover, e uma estimativa de orçamento necessário para o implementar.
  • Estratégia comercial. Como é que vai vender o seu produto? Seja específico: quantos vendedores, em que canais, com que parcerias. Qual é o objetivo de vendas que pretende atingir no primeiro ano? Deixamos uma sugestão simples de implementar: começar a vender com a sua marca no OLX Pro, a forma mais simples de começar a vender no maior Marketplace do país com 15 milhões de visitantes mensais.
  • Necessidades de financiamento. Se precisar de financiamento, identifique claramente quanto e qual o destino que dará aos fundos. Se estima que poderá precisar de mais nos próximos anos, inclua essa informação no plano de negócios inicial para evitar surpresas.
  • Metas financeiras. É fundamental dedicar um espaço para as expectativas financeiras do seu projeto, que devem estar relacionadas com a pesquisa de mercado. Uma das informações essenciais é a projeção de receitas e lucro para os próximos 12 meses, bem como uma categorização das despesas previstas.

Agora que sabe como criar um plano de negócios, vamos ao que pode correr mal.

OLX: tire partido do maior marketplace português

Os 10 erros que deve evitar para criar um plano de negócios eficaz

1# Criar um plano de negócios sem questionar pressupostos

Um dos erros mais comuns nos planos de negócios é o excesso de otimismo que leva a melhor sobre a desconfiança.

Como consequência, criam-se projeções baseadas em pressupostos errados, cálculos mal efetuados que de outra forma teria revisto e extrapolações a partir de amostras pouca significativas.

Peça a outra pessoa para rever o seu plano de negócios e volte a questionar todos os pressupostos.

2# Criar um plano de negócios incompleto ou vago

Especialmente no que toca à pesquisa de mercado e às projeções financeiras, seja minucioso. Inclua os pressupostos que utilizou e demonstre o raciocínio que seguiu para chegar aos resultados.

O bom plano de negócios deve ser suficientemente simples para que alguém fora da empresa o consiga perceber.

3# Entrar em demasiado detalhe

Não se prenda em detalhes técnicos. Como referência, o plano de negócios deverá ter no máximo 20 páginas. O resto, a informação detalhada, poderá ser colocada em anexo.

4# Criar projeções irrealistas

Por definição, um plano de negócios é uma projeção. É importante que consiga identificar os pressupostos mais importantes em que se baseou, e como chegou a essas estimativas.

Por exemplo, se está a assumir que a compra média será de 40€, procure explicar como chegou a este valor: através da análise da concorrência ou estudos de mercado, por exemplo. Elimine do plano todos os pressupostos que não sejam suportados em factos.

Por outro lado, verifique a fiabilidade das fontes e tenha cautela nas projeções. Tenha em conta que o ritmo de adoção de novos produtos é muitas vezes mais lento do que o previsto. Crie cenários com diferentes volumes de vendas e custos e projete a rentabilidade em cada um.

5# Dizer que não há riscos

Existem sempre riscos. Faça o exercício de os identificar, bem como algumas ações de mitigação, antes de apresentar o plano de negócios. Classifique e organize os diferentes fatores de risco: como a entrada de novos concorrentes, a criação da tecnologia ou a aprovação por parte de entidades legais.

6# Afirmar que não existe concorrência

Todos os negócios têm concorrentes, diretos ou indiretos. Faça uma identificação de concorrentes atuais ou futuros, e indique-o claramente no plano de negócios. Deve incluir também como poderá competir, ou seja, em que é a que sua proposta de valor é superior. Foque dimensões como preço, comodidade, segurança, simplicidade ou design.

7# O plano de negócios não mostra um caminho para o sucesso

Um bom plano de negócios deve mostrar o ‘destino’ e o ‘caminho’. Para ser eficaz, deve mostrar os passos principais para transformar a ideia numa realidade. Deve conter milestones bem definidos, metas com um significado real como, por exemplo, “assinar o cliente nº 100” ou “produzir 10.000 unidades “.

8# Utilizar um único plano de negócios estático

Um plano de negócios deve incorporar flexibilidade suficiente para aguentar alguns reveses. Se as suas projeções para os primeiros anos só funcionam com margens baixas, reaja a este sinal de alerta e volte a analisar o modelo de negócio.

Regresse ao excel (ou ao papel) e crie cenários para diferentes alternativas: e se a implementação atrasar? E se os custos forem mais altos? E se as vendas forem inferiores? Esteja preparado para este tipo de questões sempre que apresentar o seu plano de negócios.

9# Perder o foco no cash flow ao criar o plano de negócios

A maioria das pessoas pensa em termos de lucro, em vez de cash flow. Para muitos empreendedores, o resultado de um negócio equivale a vendas menos custos e despesas. Mas para que uma empresa funcione, o fluxo de caixa ou cash-flow é essencial.

Um bom plano de negócios inclui também uma noção das entradas e saídas de dinheiro no tempo, não apenas de faturação e despesas. Quando vai receber? A pronto, a 30 ou 60 dias? Quando vai pagar aos seus fornecedores? Qual é a diferença entre os dois prazos? Tem capacidade para aguentar o negócio durante os períodos em que precisar de capital?

10# Ignorar a fase de validação da ideia

Não precisa de uma grande ideia para começar um negócio – precisa de tempo, dinheiro, perseverança e bom senso. E com o OLX , necessita principalmente de bom-senso: é fácil testar uma nova ideia para um produto, colocando-o à venda online com apenas alguns cliques. 

Os melhores planos de negócios vão além dos estudos e suposições. Baseiam-se em testes piloto onde pode experimentar na prática. Um analista bancário ou investidor vai valorizar o seu plano de negócios se encontrar milestones alcançados: vendas iniciais, nº de reservas – não apenas conceitos.

Encontre uma forma simples (e barata) de testar o negócio e inclua-a no plano.

O OLX Pro é a melhor forma de testar o seu plano de negócios. Tem uma ideia? Experimente hoje no OLX.


Partilhe este artigo nas suas redes:

Próximas leituras:

Deixe um comentário